Prefeitura Municipal de Mogi Mirim

Secretaria de Governo

28/06
2018
0 comentários

Prédio do antigo Centro de Saúde será demolido e dará lugar a área verde

Com aproximadamente 2 mil m², a área localizada entre as avenidas Brasil e Santo Antônio, margeada por um córrego, agora pertence a Prefeitura. No local está construído o prédio que, até no início dos anos 90, foi o Centro de Saúde. A doação é resultado de tratativas entre o Estado e o município.

Referente ao espaço, a Prefeitura já se preocupava com as condições precárias do prédio construído ainda durante as décadas de 60 e 70. Sem manutenção, o terreno se tornou atrativo para o descarte de materiais, levando temor às autoridades sanitárias e epidemiológicas quanto a existência de possíveis criadouros do Aedes aegypti. Outro fator evidenciado pelo abandono – como a retirada dos portões – faz com que moradores em situação de rua pernoitem no local.

Estas ocorrências fizeram com que as negociações fossem aceleradas pela Prefeitura junto ao Estado, a fim de passar a administrar o espaço público. O acordo prosperou e desde 8 de junho – data de assinatura da escritura de doação da área e do imóvel pelo prefeito Carlos Nelson Bueno – o espaço é patrimônio do município.

No entanto, diante da situação precária do prédio, após análises técnicas, o imóvel terá de ser demolido. Segundo o secretário de Governo, Danilo Zinetti, a demolição da área será iniciada no dia 7 de julho. “Após vários estudos sobre a possibilidade de utilizar o prédio chegou-se à conclusão de que a demolição é necessária. Estamos retirando o material que pode ser reutilizado, como telhas e batentes, mas não há condições de abrigar nada naquele local”, afirmou Zinetti.

O projeto para a área onde está o antigo prédio do Centro de Saúde ainda não foi finalizado, mas o local deverá ganhar uma área verde, permitindo viabilizar uma espécie de extensão natural do Centro Cultural Prof. “Lauro Monteiro de Carvalho e Silva”, localizado ao lado do terreno. Além da arborização, a infraestrutura a ser construída permitirá que diversas atividades culturais e recreativas também possam ser realizadas no local. “Temos uma proibição legal e nada pode ser construído ali por ser uma área de preservação permanente. Contudo, aquela região merece um local revitalizado, seguro e atrativo”, destacou o secretário.

Compartilhe:

0 Comentários

Ainda não foram feitos comentários.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *

CAPTCHA security code

Jornal Oficial

Cadastre-se para receber novidades

Seu e-mail estará seguro conosco.
Nós não iremos compartilhar suas informações!