Educação  / Notícia

O processo para melhorias em unidades educacionais de Mogi Mirim continua, e desta vez, chega ao Centro Educacional Municipal de Primeira Infância (CEMPI) Eugênio Morari, no bairro do Aterrado. As obras de reforma e ampliação da unidade, que atende atualmente 92 bebês a partir de 4 meses (berçário 1) até crianças de 3 anos (maternal 2) tiveram início na última semana.

Os trabalhos foram inciados pelo telhado, um dos principais problemas do prédio, responsável por inúmeras infiltrações em diversos ambientes. Está prevista ainda a construção de três salas de aula com banheiros e solários (próprias para o atendimento a bebês), cobertura no acesso aos alunos, implantação de acessibilidade em todo o prédio e adaptação de uma sala para biblioteca e brinquedoteca, hoje inexistentes.

Além disso, será realizada adaptação em uma sala para local de reuniões e sala de professores, também inexistentes na unidade, e a separação da secretaria e da sala da direção, oferecendo um local adequado de atendimento às famílias. A previsão é que a obra tenha duração de aproximadamente oito meses.

Adaptado

Devido a reforma e para facilitar o andamento da obra, o prédio II da Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Mário Torezan (antiga Estrela de Luz), localizado à Rua Dom Pedro II, 31, no bairro Nova Mogi, está sendo adaptado para o atendimento aos alunos matriculados no CEMPI Eugênio Morari. Sua utilização terá início quando o retorno das atividades for autorizado pelo governo do Estado. Levantamento elaborado pela Pasta aponta que 70% das crianças matriculadas residem próximos do CEMPI Mário Torezan, daí a escolha pela unidade para a realização das aulas durante o período de reformas no CEMPI Eugênio Morari.

Vale lembrar que as aulas na rede pública municipal estão suspensas desde março devido a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A obra é de responsabilidade da MRV Engenharia, e atende a Lei Complementar 99, de 5 de dezembro de 2000, onde empreendedores responsáveis por construções de conjuntos habitacionais com mais de 200 unidades no município ficam obrigados a construir um prédio destinado a um CEMPI. Neste caso, a empresa executa a construção de moradias no bairro Linda Chaib, zona Leste do município.