Prefeitura Municipal de Mogi Mirim

Secretaria de Saúde

11/04
2019
0 comentários

Intervenção na Santa Casa já resulta em pagamento de salários e reativação da ortopedia

Setor de ortopedia em pleno funcionamento, abrangendo desde atendimentos ambulatoriais a procedimentos cirúrgicos; reativação da UTI neo natal a partir da próxima semana; plena reativação do PS (Pronto Socorro), inclusive com a realização de cirurgias; aquisição de remédios e insumos para o funcionamento da UTI adultos; o pagamento dos salários de março, totalizando cerca de R$ 700 mil e mais R$ 200 mil referentes aos encargos trabalhistas como INSS e FGTS.

Essas ações que estavam inoperantes já são resultados conquistados pela Prefeitura durante a primeira semana de intervenção determinada pela Justiça na Santa Casa.

Os dados foram divulgados em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira (10), na Prefeitura, com a presença do prefeito Carlos Nelson Bueno, da vice-prefeita Drª. Lúcia Tenório, da secretária de Saúde Flávia Rossi, além de integrantes da equipe interventora no hospital e vereadores.

Mesmo já apresentando um saldo positivo, Flávia ressaltou que ainda prossegue tomando conhecimento da situação encontrada na Santa Casa, desde as condições financeiras até o levantamento patrimonial e a estrutura dispensada aos funcionários e médicos. A análise é essencial para o completo funcionamento do hospital. “Já nos reunimos com a equipe responsável pelas cirurgias eletivas que começarão nos próximos dias, pois não tínhamos esse trabalho ocorrendo de maneira efetiva na cidade”, definiu.

Insumos e remédios

Ela explicou ainda que os insumos e remédios já estão sendo adquiridos, a fim de regularizar o estoque necessário para o reinício dos procedimentos cirúrgicos eletivos. Atualmente, apenas quatro dos seis centros cirúrgicos estão em funcionamento para as operações de urgência e emergência, sendo duas realizadas por plantão.

À implementação dos serviços, a disponibilidade dos funcionários foi fundamental. “Para essa retomada, a acolhida foi excelente, tanto que todo o quadro de colaboradores querem ser requisitados pelo município, desde o recepcionista até o cirurgião. Estão com muita vontade de ajudar”, destacou.

Manutenção e reparos

Mais uma ação positiva implementada é a manutenção do hospital. Foram realizados consertos nos aparelhos de ar condicionado da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e do centro cirúrgico, além de reparos no elevador. Na área clínica já foram restabelecidos os exames laboratoriais no período noturno. Anteriormente os pedidos eram autorizados somente durante o dia.

Referências de especialidades

A Prefeitura trabalha intensamente para manter as referências – espécie de credenciamento concedido ao município pelo Estado. A referência estende os atendimentos aos demais municípios nas especialidades de ortopedia, neurologia e nos serviços de nefrologia e UTI Neo Natal.

“Há pacientes da DRS XIV que vêm ser atendidos no hospital e se não retomarmos o funcionamento podemos perder a referência e será a nossa população que buscará atendimento em outros municípios. Por isso, o empenho e esforço de nosso trabalho”, evidenciou. “Os médicos estão muito engajados, predispostos. São essas equipes que vão nos ajudar nessa soma de esforços”.

Internações

A preocupação da equipe interventora ficou evidente ao ser constatada a diminuição de atendimentos ocorridos em anos anteriores e que acabaram afetando o índice, monitorado pelo Estado, de pacientes atendidos. “Nos áureos tempos, há, pelo menos, seis anos, a Santa Casa realizava até 700 internações ao mês e atualmente esse índice está abaixo da metade”, revelou. “Conseguimos retomar a média de 20 internações ao dia”.

Gestão compartilhada

Desde o início da intervenção, a equipe designada pela Prefeitura, mantém contato com o sindicato da categoria de funcionários hospitalares, com a DRS (Divisão Regional de Saúde), seguindo orientação do TCE (Tribunal de Contas do Estado), prestando contas ao MP (Ministério Público) e direcionada pela decisão judicial.

Comissão para a gestão hospitalar

Drª. Lúcia Maria Ferreira Tenório

Moisés da Rocha Dantas

Ramon Alonço

Rosa Angela Iamarino

Sandra Maria Palmieri Furtado

Comissão consultiva para a gestão hospitalar

Adriana Tavares de Oliveira Penha

Daniela Aparecida Granziera

Edson Pessiqueli

José Augusto Francisco Urbini

Drª. Maria Lúcia Ferreira Tenório

Moisés da Rocha Dantas

Oliveira Pereira da Costa

Ramon Alonço

Rosa Angela Iamarino

Sandra Maria Palmieri Felizardo

Compartilhe:

0 Comentários

Ainda não foram feitos comentários.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *

CAPTCHA security code

Jornal Oficial

Cadastre-se para receber novidades

Seu e-mail estará seguro conosco.
Nós não iremos compartilhar suas informações!